quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Museu de Mineralogia - Alguns Minerais



• Objetivo do Museu :
Coletar, preservar e expor minerais ou peças que estejam diretamente relacionadas com a Mineralogia;contribuir para o aprimoramento do ensino da Mineralogia na Universidade;atender a um público diverso: alunos da Universidade, técnicos, cientistas, pesquisadores e visitandes em geral;divulgar e tornar conhecida a coleção de minerais da Escola de Minas e as riquezas naturais do Brasil e do exterior.


•Alguns Minerais que encontramos no Museu de Mineralogogia na UFOP
( Universidade Federal de Ouro Preto )

• QUARTZO

Esta é uma amostra de quartzo, uma das formas sob as quais o óxido de silício é encontrado na natureza. Desse mineral se extrai o silício, que é utilizado na moderna indústria eletrônica. O detalhe importante nesse espécimem é a presença de cristais acirculares de manganita dispostos radialmente em seu interior.

- Origem do nome: do alemão quarz ( que significa desconhecido)
- Fórmula química:SiO2 (dióxido de silício)
- Dureza: 7 escala de Mohs)
- Brilho: Vítreo
- Procedência:Governador Valadares - MG
- Cor :Incolor,branco,púrpura,preto,cinza,leitoso.etc Algumas cores recebem denominação especial:
  • incolor: cristal de rocha,
  • violeta: ametista,
  • amarelo: citrino,
  • verde claro transparente: prasiolita,
  • lilás claro: rosa de França.
Outras Cores:
  • quartzo rosa,
  • quartzo verde,
  • quartzo azul,
  • quartzo leitoso,
  • quartzo branco,
  • quartzo enfumaçado.
- Traço: Branco
- Densidade:(g/cm32,65
Clivagem; fratura: sem clivagem; fratura conchoidal  - Clivagem imperfeita segundo {1011}  ou {0111}
- Composição: 46.74% Si,  53.26 % O
- Cristalogia: Trigonal
- Classe: Trapezoédrica
- Propriedades Ópticas: Uniaxial positivo
- Hábito: Granular,prismático,compacto ,etc
- Associação: Feldspato,piroxênios,anfibólios,mica, etc
- Propriedades Diagnósticas: Brilho,fratura conchoidal,forma dos cristais,transparência e propriedade óticas.
- Ocorrência: é gerado por processos metamórficos,magmáticos,diagenéticos e hidrotermais.
- Usos: Areia para moldes de fundição, fabricação de vidro, esmalte, saponáceos, dentifrícios, abrasivos, lixas, fibras óticas, refratários, cerâmica, produtos eletrônicos, relógios, indústria de ornamentos; fabricação de instrumentos óticos, de vasilhas químicas, refratários etc. É muito utilizado também na construção civil como areia e na confecção de jóias baratas, em objetos ornamentais e enfeites, na confecção de cinzeiros, colares, pulseiras, pequenas esculturas etc

Quartzo verde de excelente qualidade, ideal para uso em arquitetura e para confecção de peças de artesanato. Jazidas próprias no estado da Bahia.

• TOPÁZIO

Este é um belo exemplar do topázio dito imperial, de cor castanho-avermelhado, só encontrado na região de Ouro Preto. Essa amostra, com cerca de 13cm, é quase perfeita, com pouquíssimas inclusões, o que faz dela uma peça que seria perfeitamente lapidável.

- Fórmula Química - Al2SiO4(OH,F)2   -  Al2(F,OH)2SiO4
- Composição - 55,95 % Al2O3, 32,97 % SiO2, 4,45 % H2O, 11,47 % F 
- Cristalografia - 
Ortorrômbico
- Classe - Bipiramidal rômbica
- Propriedades Ópticas - 
Biaxial positivo
- Hábito - 
Prismático
- Clivagem - 
Excelente em {001}
- Dureza - 
8
- Densidade relativa - 3,4 - 3,6
- Fratura - Subconchoídal
- Brilho - Vítreo
- Cor - Branco, amarelo-vinho, amarelo-palha, cinza, verde, azul, vermelho. 
- Associação - Associado a fluorita, cassiterita, turmalina, muscovita.  
- Propriedades Diagnósticas - Apresenta fosforecência, insolúvel em HCl, testes químicos. 
- Ocorrência - Ocorre em granitos e riólitos, veios ou cavidades, sendo nestes últimos resultado de
cristalização pneumatolítica residual de magmas. Ocorre também em alguns xistos e gnaisses, como resultado do mesmo processo. Frequentemente encontrado em pegmatitos.
- Usos - Gema e indústria de refratários.
- Procedêndia: Governador Valadares MG.

• TURMALINA








Esse é mais um exemplar de turmalina, mineral que é encontrado na natureza com cores que variam dentro de uma ampla gama, desde incolor, até o negro. O termo turmalina refere-se ao mineral de cor verde. Os espécimens de outras cores recebem denominações como elbaíita, rubelita, dravita, etc.







Fórmula química: Trata-se de um alumino-silicato de cuja composição participam diferentes elementos, como ferro, boro, alumínio, sódio, etc.








- Fórmula química: XY3Al6(BO3)3(Si6O18)(OH)4*
- Sistema cristalino: Hexagonal - R; piramidal-ditrigonal.
- Cor: Variações entre verde, róseo, vermelho, azul e negro
- Cor do traço: Incolor
- Transparência: Opaca
- Brilho: Vítreo
- Fratura: Concóide
- Clivagem: Inexistente
- Dureza: 7
- Densidade: 3,0 - 3,25







- Usos: A turmalina é uma das pedras semipreciosas mais belas. A cor das pedras varia, sendo as principais matrizes o verde oliva, o róseo, o vermelho e o azul. Lapide-se, às vezes, uma pedra de tal modo que mostra diferentes cores em diferentes partes. As pedras de cor verde se conhece usualmente pelo nome do mineral - turmalina - ou como esmeraldas brasileiras.
- Ocorrência: A ocorrência mais comum e a característica da turmalina é nos pegmatitos graníticos e nas rochas que circundam esses depósitos. A massa da turmalina nos pegmatitos é preta, mas também se encontram neles as variedades, tendo qualidade de gema, de coloração mais clara. A associação característica é com os minerais comuns do pegmatito: microclínio, albita, quartzo, muscovita; também, com lepidolita, berilo, apatita, fluorita e minerais mais raros. Encontrada também, como mineral acessório nas rochas ígneas e metamórficas, tais como gnaisses, xisto e calcário cristalino.

 OURO E QUARTZO









O ouro natural não é 100% puro. Encerra, em média, 10 a 20% de outros metais, como cobre, prata ou paládio. O ouro da região de Ouro Preto tem uma pureza da ordem de 22 quilates, o que corresponde a uma liga com 22 partes de ouro e 2 de outros metais.

- Fórmula química: 
Au e SiO2

- Procedência: Jaraguá - GO




• AMETISTA



Trata-se de quartzo de cor violácea. Essa cor se deve, provavelmente, a traços de Fe+3 na composição do mineral. Esse espécimem é constituído por cristais paralelos, formação que fez com que se lhe atribuisse o apelido de "catedral". Encerra inclusões líquidas (água) e gasosas, visíveis a olho nu, fato esse que é relativamente raro.

- Fórmula química: 
SiO2

- Procedência: Salinas - MG 









Jaspe

Essa peça é constituída pela associação de dois minerais: sílex e hematita, em camadas alternadas. O sílex tem a mesma composição do quartzo e a hematita é um dos óxidos de ferro.








- Fórmulas químicas: SiO2 e Fe2O3
- Procedência: Corumbá - MS 

Limonita





A limonita é um mineral muito comum na natureza. O que torna essa amostra interessante é o fato de que ela se apresenta incrustada em outro mineral.

- Fórmula Química - Fe(OH)3.nH2O - H2Fe2O4 (H2O)x

- Composição - Hidróxido de ferro. 90,0% de Fe2O3, 10,0 % de H2O
- Cristalografia - Amorfo (Mineralóide)
- Classe - 
Não apresenta
- Propriedades Ópticas - 
Isotrópico
- Hábito - 
Estalactítico, botrioidal, mamelonar, fibroso, maciço, terroso
- Clivagem - Não apresenta. 
- Dureza - 
- 5,5
- Densidade relativa - 
3,3 - 4,3
- Fratura - 
Conchoídal 
- Brilho - 
Submetálico terroso.
- Cor - Marrom, marron-amarelado, amarelo, preto  
- Associação - 
Associada a pirita, magnetita, siderita, hornblendas, piroxênios.
- Propriedades Diagnósticas - Cor de traço marron-amarelado, hábito, dureza, densidade, ausência de estrutura cristalina.
- Ocorrência -
 Origem secundária, resultado da alteração de minerais ricos em ferro.

Usos - Fonte de ferro, pigmentos.  


ARAGONITA



A aragonita tem a mesma composição química da calcita, ou seja, é o carbonato de cálcio, mas pertence a um sistema cristalino diferente. Nessa amostra, temos cristais acirculares, dando a impressão de um coral. Foi encontrada em uma gruta, o que é um fato raro no caso desse mineral.

- Fórmula Química - CaCO3
- Composição - Carbonato de cálcio, polimorfo da calcita. 56% CaO , 43% CO2 
- Cristalografia - 
Ortorrômbico
- Classe - Bipiramidal rômbica
- Propriedades Ópticas - 
Biaxial negativo
- Hábito - 
Piramidal acicular, tabular ou pseudo-hexagonal
- Clivagem - 
Imperfeita {010} e {110}
- Dureza - 
3,5 - 4
- Densidade relativa - 
2,95
- Brilho - 
Vítreo 
- Cor - 
Incolor, branco, amarelo-pálido e colorida variavelmente. Transparente a translúcida- Associação - Em fontes termais, está associado a camadas de gipso e depósitos de minério de ferro, onde podem ocorrer as formas que se assemelham a coral, chamadas de flor do ferro.
- Propriedades Diagnósticas - 
Distingue-se da calcita por sua densidade relativa mais elevada e pela ausência de clivagem romboédrica.
- Ocorrência - 
É menos estável do que a calcita e muito menos comum. Forma-se dentro de uma estreita faixa de condições fisico-químicas, representada por baixas temperaturas, perto dos depósitos superficiais na presença de cátions grandes e em ambientes de alta pressão.
- Usos - 
Fabricação de cimentos, corretor de pH em solos ácidos.
- Procedência: Ouro Preto - MG 

• PIROFILITA

A pirofilita, que nessa amostra está asociada à limonita, é utilizada na fabricação de materiais refratários. Em alguns casos, é difícil dostingui-la da sericita ou talco, sendo necessárias análises químicas especiais.

- Fórmula Química - (Si4O10)Al2(OH)2  - Al2(OH)2Si4O10
- Composição -  Silicato de alumínio hidratado. 28,3% Al2O- 66,7% SiO2 - 5,0% H2O
- Cristalografia - 
Monoclínico
- Classe - 
Prismática
- Propriedades Ópticas - 
Biaxial negativo
- Hábito - Prismático
- Clivagem - 
Basal perfeita {001}
- Dureza - 
- 2

- Densidade relativa - 
2,8 - 2,9
- Brilho - 
Perláceo
- Cor - 
Branco, verde, cinza ou pardo
- Associação - 
 Normamente associada a minerais aluminosos. 
- Propriedades Diagnósticas - 
Na presença de calor ocorre esfoliação. 
- Ocorrência - 
Metamorfimo de baixo grau sobre sedimentos aluminosos e processos hidrotermais.
- Usos - É o principal constituínte do agalmatolito (também conhecido como pagodita, pedra-sabão ou pedra-estuária), é usada como inerte para veículo de inseticidas e carga de vários produtos; quando compactada, cripstocristalina, é usada na confecção de bases para aparelhos elétricos e para estatuetas ou tornear objetos de uso domésticos, e usada na indústria de cerâmica, porcelana elétrica, refratários, papel tintas, asfalto etc.
Procedência: Ouro Preto - MG


• BARITA


Essa amostra é rara pelo tamanho dos cristais, pela transparência e pelo colorido, pois a barita, também conhecida como baritina, comumente é encontrada sob a forma de massas compactas. Esse mineral tem várias aplicações industriais, sendo utilizada, por exemplo, na preparação da lama utilizada na perfuração de poços de petróleo.

- Fórmula Química - BaSO4
- Composição - Sulfato de bário. 34,4% SO3, 65,7% PbO
- Cristalografia - 
Ortorrômbico
- Classe - Bipiramidal rômbica
- Propriedades Ópticas - 
Biaxial positivo
- Hábito - 
Tabular, prismático, fibroso, lamelar, granular, estalactítico 
- Clivagem - 
Perfeita em {001}, boa em {110}, imperfeita em {010}

- Dureza - 
- 3,5
- Densidade relativa - 
4,3 - 4,6
- Brilho - 
Vítreo
- Cor - 
Branco, azul, vermelho, amarelo, marrom, marrom-escuro, cinza 
- Associação - 
Associada a fluorita, quartzo, calcita, dolomita, estibnita.  
- Propriedades Diagnósticas - 
Apresenta fosforescência, clivagem, elevada densidade, brilho vítreo a resinoso e  insolubilidade em ácidos.
- Ocorrência - 
É o mais comum dos minerais de bário, em geral associado a depósitos de chumbo, zinco, cobre, ferro, prata, níquel, cobalto, manganês e outros. Encontrado em calcários e arenitos, em veios distintos ou cimento em arenitos. Ocorre também em materiais petrificados e fósseis. - Usos - Obtenção de hidróxido de bário, o qual é usado em pigmentos, fabricação de papéis, refinação de açúcar.
Procedência: Araxá - MG


- CALCEDÔNIA:









Esta é mais uma das formas sob as quais encontramos o óxido de silício na natureza. Essa amostra se apresenta sob a forma de estalactite.
Fórmula química: SiO2
Procedência: São Simão - MG














PSILOMELANA






Trata-se de um minério de manganês. Essa amostra se formou de forma semelhante às estalactites, o que é uma curiosidade, pois esse mineral normalmente se apresenta sob a forma de massas compactas.
Fórmula química: Ba(Mn") (Mn4)8O16(OH)4
Procedência: Conselheiro Lafaiete - MG 











- Curiosidades:






























- Quantos minerais tem no museu?





Atualmente, dois setores de mineralogia contam com um acervo de minerais com cerca de 20 mil amostras, que procedem de diversos países, sendo considerado como um dos mais completos do mundo.

- Quais são os minerais mais raros?
Podem ser vistas no Museu amostras mineralógicas do diamante aos minerais de urânio, amostras curiosas como o quartzito flexível (pedra mole), quartzo com inclusões aquosas, estalactites, belas coleções de topázio imperial, de quartzo, de ágatas, opalas e tantos outros minerais raros.

- Quais são os minerais mais importantes?
Esmeralda e água-marinha (ambas variedades do berilo), alexandrita
(variedade do crisoberilo), topázio imperial, turmalinas coradas e
diamante.





















Nenhum comentário:

Postar um comentário